terça-feira, 15 de junho de 2010

Comprando vinhos evoluídos - Parte I

Onde comprar vinhos de qualidade prontos para o consumo, com taninos "domados", tripé em perfeito equilíbrio, sem arestas, fruta inebriante e álcool "explosivo"? Essa é, sem dúvida, a pergunta que vale 1 milhão de rolhas.

A menos que você seja um enófilo de longa data, com uma coleção de garrafas constituída ao longo de anos, dificilmente abrirá a sua adega, cotidianamente, e pegará um vinho de guarda no ponto para beber. Não estou nem falando de vinhos "tops", mas sim de vinhos que ganham com a maturidade, descansando alguns anos na garrafa, sob condições adequadas.

Imagino que esse seja o problema de muitos enófilos, como eu, que passaram a apreciar vinhos maduros e evoluídos há menos de 10 ou 15 anos. Ou que nunca tiveram paciência de fazer a guarda dos vinhos comprados - para que deixar para amanhã o que podemos beber hoje?


No meu caso, comecei bebendo nacionais e sulamericanos em geral, vinhos na faixa de R$ 40/R$ 50, que não ganhavam nada com a guarda. No entanto, a evolução para vinhos mais elegantes e "redondos" foi um caminho natural. O problema é que o "passivo" na adega não ajudava... Tirando uma ou outra garrafa, como alguns nacionais de 1999 que ainda dão um caldo, entre eles o Miolo Lote 43 e o Pizzato Merlot.

Para remediar essa questão, fico atento às pontas de estoque e gasto um bom dinheiro com vinhos quase considerados em "fim de carreira", cujas importadoras pretendem descontinuar a importação ou simplesmente atualizar o estoque. Mas nem sempre consigo encontrar garrafas suficientes para o ano todo, o que me estimula a dar uma garimpada em lojas e importadoras. Supermercados, apesar o risco da má conservação, também podem oferecer boas surpresas.

Minha intenção com esta "série" de posts é dividir com os possíveis interessados alguns achados que estão disponíveis no mercado e que, na minha opinião, valem a pena. Para começar, indico um Rioja que acabo de beber - na verdade, é a segunda garrafa das 4 que comprei.

Viña Salceda Gran Reserva 1999
Importado pela Mistral, este é, possivelmente, elaborado integralmente ou pelo menos predominantemente com a tempranillo - é difícil ser exato, pois quase não há informações sobre ele no site. Mas isso não importa muito. O fato é que se trata de um vinho macio e elegante, com aromas terciários bastante presentes, fruta madura, um toque de eucalipto bem sutil, couro e pimenta do reino. Dispensa decanter, pois não há resíduo para tanto. Gostei bastante, é um vinho para 88/88,5 pontos e que custa R$ 118. Não é uma pechincha, mas vale pela oportunidade de se beber um Rioja fora da puberdade e que acompanha muito bem refeições à base de massas e carnes não tão pesadas/suculentas.

Na própria Mistral há outras opções de vinhos prontos/evoluídos, da década de 1990, como rótulos do excelente italiano Castelo di Ama. Porém, a preços menos convidativos. Mas certamente boas compras para quem tem disposição de investir em vinhos que não necessitam mais de guarda e que podem ser abertos e deliciados sem sentimento de culpa por conta de um possível "infanticídio".

Nos próximos dias, trarei outras boas oportunidades de compra de vinhos "maduros" à venda no mercado. Peço aos que conhecem oportunidades semelhantes que postem aqui suas sugestões.

Um comentário:

Vivendo a vida disse...

Bom dia amigo, como você sou um fanático por vinhos evoluídos junto com uma turma aqui em Vitória.
Consigo minha safras antigas em ponta de estoque, viagens, amigos em viagem, da minha adega que já tem 10 anos e de pessoas que estão desfazendo das suas adegas. Realmente em geral são vinhos como você comentou com um tripé perfeito para o consumo.

Abraço e saúde
www.vivendoavida.net